Fatos - e não Suposições - Ambientais

Fatos - e não Suposições - Ambientais

Fatos - e não Suposições - Ambientais

Caros leitores, não é dúvida para quem trabalha no setor produtivo, mormente o rural, que as exigências ambientais são muito mais severas, comparando com qualquer outro País deste planeta. Isso é fato e não suposição.

A legislação florestal nacional é a mais rígida do mundo. Isso é fato e não suposição.

As limitações ambientais ao uso da propriedade rural que existem no Brasil, decorrentes da nossa legislação, são arcadas exclusivamente pelo proprietário/produtor rural privado, diferente do que ocorre no resto do mundo que, quando estipula tais limitações, estas são custeadas pela sociedade/Poder Público. Isso é fato e não suposição.
ONGs (Organizações Não Governamentais) com viés “ambiental” existem aqui em número muito superior ao resto do mundo. Isto é fato e não suposição.

A crítica dos jornalistas ditos especializados e celebridades às questões ambientais pátrias são mais severas aqui do que no resto do mundo. Isso decorre do binômio falta de informação/interesse econômico externo envolvido. Isso é fato e não suposição.

Sabemos, que o simples fato de punir por punir, sem a devida educação ambiental que deve ser norteada pelo Poder Público não mudará nada, assim como não inserir a população afetada nesta discussão também não trará resultados satisfatórios. A sustentabilidade somente existirá se dermos condições econômicas às pessoas envolvidas em preservar e conservar o meio ambienta natural. Isso é fato e não suposição.

É dever do setor produtivo, contudo, fazer sua parte em informar melhor o que vem fazendo em prol do meio ambiente, denunciando abusos e mostrando à sociedade as dificuldades que possui. Isso é fato e não suposição.

Desta forma, chamou-me atenção a Nota Pública da Orplana (Organização de Associações dos Plantadores de Cana do Brasil), que sinteticamente informou à sociedade o que faz e as dificuldades que sente este importante setor da economia nacional, razão pela qual utilizarei este nobre espaço para replicá-la.

Juliano Bortoloti
Advogado